O que da Argentina merece destaque Exposta a situação, dito isso e mais um pouco, fica a pergunta: tem solução? Ter, tem, mas digamos que as autoridades ainda não descobriram. Um pouco por inércia própria, um pouco por falha nas operações promovidas até aqui. Desde 2004, por exemplo, um especialista no assunto, o holandês Otto Adang, atua na Argentina como fruto de uma parceria entre os dois países. Com a experiência de já ter trabalho em algumas edições de Eurocopas e no auxílio à polícia holandesa no combate aos vândalos, Adang chegou a uma triste conclusão em entrevista ao diário Olé, em 2009. “A solução europeia não cabe na Argentina. Lá, os hooligans estavam concentrados em grupos marginais sem relação com o sistema. Aqui, aparecem vinculados ao negócio de maneira surpreendente”, disse. Por vínculo, o holandês quis dizer direitos econômicos de jogadores, ações de marketing dos clubes, serviços dos mais simples e por aí vai. Faz sentido que World Soccer e Guardian deem mais destaque a esses episódios, não faz? Trivela, 28 de outubro de 2011